Artesã que admiro: Bia Cardeal

20 de julho de 2013

Conheci o trabalho de Bia Cardeal por meio da Revista Make, a qual eu assino e recomendo. Assim que soube que ela estaria ministrando um workshop em Gaspar, distante 50km da cidade onde moro - Balneário Camboriú, logo tratei de me inscrever para vê-la bem de pertinho e aprender como faz Redwork. [O que é Redwork? Clique aqui.]

Antes de nos encontrarmos, hoje, enviei um e-mail para ela e fiquei muito feliz pelo rápido retorno. Bia foi muito solícita e prontamente respondeu minha entrevista pingue-pongue. Assim eu ressuscitei a jornalista que há em mim... kkk


Quem é Bia Cardeal ?
A mais nova de uma família de nove filhos, Bia Cardeal, estimulada pela mãe professora e pai topógrafo, desde cedo aprendeu a gostar de livros e mesmo antes de saber ler, já admirava as figuras coloridas das histórias infantis. E foi assim que descobriu aos poucos que gostava de lápis e pincéis.

Foto: Revista Make.
A adolescente queria ser bióloga, mas ao sair de Brusque para estudar, iniciou em Curitiba o Curso Superior de Artes Plásticas e não foi difícil ter certeza que este seria o caminho que percorreria. Foi editora executiva de revistas de ponto cruz, pintura em madeira e patchwork, prestando serviço para editoras em São Paulo e Rio de Janeiro, onde também residiu. Escreveu e ilustrou dois livros infantis, sendo o primeiro “A Arca das Letras”, publicado em 2001 e “O Rei das Palavras”, de 2007, ambos editados pela editora Hagnos, de São Paulo.

Durante sete anos atuou também como designer desenvolvendo papéis de decoupage e stenceis para quilting, para a empresa paulista Toke e Crie e para Pintando e Bordando, do Rio de Janeiro.

Na área têxtil, como designer de superfície, criou em 2012 para a empresa Döhler Tecidos, de Joinville, a coleção Baltimore e Redwork, cujas estampas para tecido para patchwork tem feito bastante sucesso. Atualmente é designer exclusiva da empresa Fernando Maluhy Tecidos, de São Paulo, empresa especializada em tecidos para patchwork, para quem tem criado coleções de estampas a serem lançadas neste segundo semestre de 2013.

Como quilt designer, possui trabalhos publicados em revistas da área, como Patch e Afins, da Editora Nove e Make Rita Paiva, da Editora Minuano, ambas de São Paulo. Bia Cardeal também comercializa seus projetos e produtos em seu atelier em Brusque e feiras da região, como o Festival Algodão Doce, de Florianópolis, onde esteve presente em 2012 e estará novamente em agosto de 2013.

Em julho de 2012, graduou-se como designer gráfica pela Uniasselvi, obtendo premiação como aluna destaque entre todos os cursos concluídos naquela data.

É casada com Sidney Jesus Rodrigues e Natan Cardeal Rodrigues é seu filho.

Desde quando você trabalha com artes manuais?
Com Patchwork há uns sete anos. Trabalhei com pintura em madeira durante uns sete também e bordado mais uns três ou quatro anos.

O que te inspirou?
O que me inspira é estar viva. Não sei viver sem ter ideias. É algo constante em minha vida, seja em que área for. Sempre tenho um caderninho ao lado da cama, porque à noite as ideias me assaltam e antes que elas escapem, eu as prendo no caderno!!!  (rsrsr)

Você tem um atelier? Como é sua rotina de trabalho na produção das peças?
Tenho um atelier somente para meu uso, onde costuro as peças que crio. Não tenho uma rotina muito definida. Mas agora, por exemplo, estou produzindo algumas coisas novas para o Festival Algodão Doce, então chego a passar de 10 a 12h dentro do atelier costurando!! Quando estou desenvolvendo minhas padronagens (estampas para tecido), fico direto no computador desenhando. Assim eu me divido, ora costurando, ora desenhando... É meu "slogan": "A linha que desenha é a linha que costura!".

É fácil encontrar na sua cidade os materiais que você precisa para produção das peças? Onde você os compra?
Hoje é muito mais fácil encontrar material aqui em minha cidade (Brusque). Mas quando comecei era muito complicado! Aliás, quando comecei com patchwork, as pessoas nem sabiam o que era isto. Quando iniciei a dar aulas de patchwork, tinha que ir a Curitiba, Itajaí ou Florianópolis comprar tecido. Um absurdo para uma cidade que se diz "berço da fiação catarinense"! Mas agora temos especialmente uma loja bem servida de produtos, de tecidos a ferramentas e acessórios, a Pedrita ou Aviamentos Barni, na pessoa da querida Andreza Barni, minha parceira no Algodão Doce!

Você tem alguma mania na hora de produzir arte (eu, por exemplo, AMO sentar em frente à TV e ficar ouvindo o burburinho dela, nem presto atenção direito... kkk)?
Minha mania na hora de produzir?? Sim, necessito desesperadamente estar sozinha!!! Somente eu e meus botões funcionando. No máximo um jazz (AMO!!) ao fundo ou o som dos passarinhos no quintal.

Você tem alguma peça de estimação que jamais irá vender (eu tenho uma bota de papai noel, não há preço que pague de tão trabalhoso e de tão lindo que ficou!)? Tem foto pra mostrar?
Há muitas coisas que tenho pena de me desfazer, todas as coisas que faço, meus quilts principalmente (quando digo quilt, quero dizer uma peça, como uma manta ou colcha). Eles parecem meio que filhos meus! Hoje, com certeza eu não venderia  o quilt que inspirou a minha nova coleção de estampas chamada "Memórias", produzida por Fernando Maluhy. Este quilt foi feito com partes de uma toalha que minha mãe bordou há mais de 60 anos, quando era noiva. Então eu vi e pedi a ela que me desse. Depois de um ano eu retrabalhei a toalha, recortando os bordados e aplicando cada parte, transformando num quilt. Na verdade eu dei o quilt pra ela, de aniversário, mas ele está mais aqui comigo do que na casa dela (rsrsr!).

Foto cedida por Bia Cardeal.
Há alguém que te serve como "guia artesanal"? (Eu tive várias pessoas que me ensinaram várias artes, mas a Sandra lá de Balneário Camboriú é muito especial por me ensinar crochê, algo que eu tentei um milhão de vezes e nunca consegui. Com ela, eu tenho mais coragem para tentar, errar, desmanchar, fazer de novo até dar certo).
Difícil responder esta! Na verdade eu aprendi patchwork SOZINHA!! Não sabia nem colocar a linha na máquina, rsrsr! Não havia quem pudesse me ensinar aqui em Brusque, pois ninguém sabia fazer. Então, eu fui engatinhando até aprender a andar um pouquinho. Ainda não sei muita coisa, pois o universo do patchwork é imenso e lindo também!. Mas eu gosto de muitas designers americanas (Kim Diehl, Linda Jenkins e Becky Goldsmith, Pat Sloan e muitas outras) e australianas (Lynette Anderson que é britânica radicada na Austrália, Bronwyn Hayes, Rosalie Quinlan e muitas outras). As australianas eu gosto muito porque elas usam o bordado junto, o que dá um charme extra ao trabalho!.

Quem quiser adquirir seus produtos, como faz? 
Para adquirir meus produtos, funciona assim: os tecidos, no atacado, tem que ser pedidos direto para o fabricante (Döhler ou Fernando Maluhy). Se for no varejo, pode ser com a Andreza dos Aviamentos Barni. As outras coisas, como painéis para bordar ou os projetos das peças que crio, pode ser direto comigo no e-mail (biacardealdesign@gmail.com) ou no Facebook por mensagem fechada na fanpage.

Bia, muito obrigada por conceder esta entrevista para mim. Admiro teu trabalho e conhecê-la pessoalmente foi uma delícia, pois te considero uma pop star... kkk Um carinhoso abraço e espero reencontrá-la no Festival Algodão Doce e em muitos outros eventos da área! Sucesso! \o/

4 comentários :

  1. Bela entrevista com a Bia Cardeal. Uma profissional admirável! Suas peças são lindíssimas!

    ResponderExcluir
  2. Oi Danizinha! Voce é um docinho de pessoa! Adorei te conhecer pessoalmente! Obrigada por divulgar meu trabalho aqui neste teu espaço tão lindo! Sempre que precisar estarei à disposição. E não deixe de ir me ver lá em Floripa, no Algodão Doce! Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Dani, eu amo o trabalho da Bia Cardeal. Como bordo ponto cruz,amo de paixão os gráficos criados por ela. Eu já conhecia alguns, mas a Silvia, uma amiga virtual de Curitiba, me ensinou a apreciá-los ainda mais, considero ela a bordadeira oficial dos gráficos da Bia.
    A Bia Cardeal arrasa em tudo o que faz! Adorei a entrevista,conhecer um pouco mais dela. Jamais poderia imaginar que ela aprendeu o patchwork sozinha... Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela entrevista, amei conhecer um pouco mais da nossa amiga Bia Cardeal... :) Silvia - www.facebook.com/silviabordadeira

    ResponderExcluir

ATELIÊ PORTO POÁ - Copyright © 2014 - Todos os Direitos Reservados